Academia Brasileira de Letras

Área de identificação

Identificador

RJABL

Forma autorizada do nome

Academia Brasileira de Letras

Forma(s) paralela(s) de nome

Outra(s) forma(s) do nome

Tipo

Área de contato

 

Paulino Lemes de Sousa Cardoso

Tipo

Endereço

Endereço

Avenida Presidente Wilson, 203. Castelo, Centro

Localidade

Rio de Janeiro

Região

RJ

Nome do país

Brasil

CEP

20030-021

Telefone

55 21 3974-2547/3974-2564

Fax

55 21 2533-2460

Nota

Área de descrição

História

A Academia Brasileira de Letras (ABL) foi fundada definitivamente no dia 20 de Julho de 1897, em uma sala do Pedagogium, na Rua do Passeio. Entretanto, a criação de uma academia nacional nos termos da Academia Francesa já era, anteriormente, cogitada por intelectuais como Afonso Celso Júnior, ainda no Império, e Medeiros e Albuquerque, já na República. De fato, foi o êxito social e literário da Revista Brasileira, de José Veríssimo, que deu coesão a um grupo de escritores, possibilitando, assim, a implementação da idéia. Ao final do ano 1896, o grupo de escritores começava a preparar a gestação da Academia, a qual a princípio se constituiria sob a égide do Estado, o que não ocorreu pela escusa do último. Sendo assim, a ABL se formaria independentemente, em meio a uma série de sessões preparatórias nas quais foram tomadas decisões importantes como a de quem viria a ocupar o cargo de presidente, sendo aclamado para tal Machado de Assis, e a escolha de quem ocuparia os primeiros quarenta assentos da instituição. Em janeiro de 1897, a sétima e última sessão preparatória contou com a presença de 16 membros – a esta altura dos quarenta assentos da incipiente Academia, trinta deles já haviam sido ocupados - que tiveram a incumbência de definir quais escritores ocupariam os dez assentos restantes. Só poderiam ocupar assentos na Academia intelectuais que fossem brasileiros e que houvessem publicado obras de qualquer gênero que fossem de reconhecido mérito. Então, seguindo os padrões da Academia Francesa com seus quarenta assentos, a ABL, em sua primeira composição, foi formada pelos seguintes escritores: Araripe Júnior, Artur Azevedo, Graça Aranha, Guimarães Passos, Inglês de Sousa, Joaquim Nabuco, José Veríssimo, Lúcio de Mendonça, Machado de Assis, Medeiros e Albuquerque, Olavo Bilac, Pedro Rabelo, Rodrigo Otávio, Silva Ramos, Teixeira de Melo, Visconde de Taunay, Coelho Neto, Filinto de Almeida, José do Patrocínio, Luís Murat e Valentim Magalhães, que haviam comparecido às sessões anteriores. Afonso Celso Júnior, Alberto de Oliveira, Alcindo Guanabara, Carlos de Laet, Garcia Redondo, conselheiro Pereira da Silva, Rui Barbosa, Sílvio Romero e Urbano Duarte, Aluísio Azevedo, Barão de Loreto, Clóvis Beviláqua, Domício da Gama, Eduardo Prado, Luís Guimarães Júnior, Magalhães de Azeredo, Oliveira Lima, Raimundo Correia e Salvador de Mendonça aceitaram o convite para a ela se integrarem Quanto à primeira diretoria, esta foi composta pelos seguintes intelectuais: Rui Barbosa (presidente); Joaquim Nabuco (Vice); Rodrigo Otávio (1º secretário); Mário de Alencar (2º secretário)e Filinto de Almeida (tesoureiro). Inicialmente, a ABL não possuía sede própria e seus membros se reuniam em diversas salas e prédios públicos da antiga Capital Federal. Em 1923, com a doação pelo governo francês do Petit Trianon, o pavilhão francês da Exposição do Centenário da Independência do Brasil, a Academia conquistou, enfim, uma sede própria. Mas foi em 1979, durante a presidência do acadêmico Austregésilo de Athayde, com a construção de uma moderna sede que levou seu nome - Palácio Austregésilo de Athayde – que a ABL consolidou o seu patrimônio. O terreno para a construção do novo prédio foi doado pelo governo brasileiro e abrigava, anteriormente, o pavilhão inglês na Exposição Internacional comemorativa do Centenário da Independência do Brasil. Sendo a principal finalidade da Academia divulgar e incentivar a cultura da língua e da literatura nacional, esta buscou, ao longo de sua história, alcançar tal objetivo, em parte, concedendo prêmios a escritores dos mais diversos gêneros literários. Dentre estes prêmios destacam-se: Olavo Bilac (poesia); José Veríssimo (ensaio e erudição); Monteiro Lobato (literatura infantil); Francisco Alves (monografia sobre o ensino fundamental no Brasil e sobre a língua portuguesa); Assis Chateaubriand (artigos literários); Afonso Arinos (contos); Artur Azevedo (teatro); Silvio Romero (crítica e história literária); Coelho Neto (romance); Joaquim Nabuco (história social); João Ribeiro (filologia, etnografia e folclore); José de Alencar (novelas); Odorico Mendes (tradução); Aníbal Freire (oratória); Carlos de Laet (crônicas e viagem); Roquete-Pinto (etnografia); Alfred Jurzykowski (economia e política). Em sessão de 19 de março de 1998, o acadêmico Lêdo Ivo apresentou proposta de alteração do Regimento Interno, com relação aos prêmios literários da Academia. Pela reforma regimental aprovada em 10 de outubro de 1998, artigo 53, passaram a ser concedidos anualmente o Prêmio Machado de Assis, para conjunto de obras, o Prêmio ABL de Poesia, o Prêmio ABL de Ficção, o Prêmio ABL de Ensaio e o Prêmio ABL de Literatura Infanto-juvenil. Recentemente foram criados os prêmios ABL de Tradução e ABL de História e Ciências Sociais.

Contexto cultural e geográfico

Mandatos/Fontes de autoridade

Estrutura administrativa

Políticas de gestão e entrada de documentos

Prédios

Acervo

Instrumentos de pesquisa, guias e publicações

Área de acesso

Horário de funcionamento

De 2ª a 6ª feira de 10h às 17h.

Condição de acesso e uso

Carteira de identidade ou passaporte (caso o consulente seja estrangeiro).

Acessibilidade

Área de serviços

Serviços de pesquisa

Serviços de reprodução

Áreas públicas

Área de controle

Identificador da descrição

BR RJABL ABL

Identificador da instituição

RJABL

Regras ou convenções utilizadas

CONSELHO INTERNACIONAL DE ARQUIVOS. ISDIAH: norma internacional para descrição de instituições com acervo arquivístico. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2009.

Status

Final

Nível de detalhamento

Parcial

Datas de criação, revisão e obsolescência

27/8/2008
6/6/2009
26/10/2015

Idioma(s)

  • português do Brasil

Sistema(s) de escrita(s)

Fontes

Notas de manutenção

Pontos de acesso

Pontos de acesso

  • Associações Cariocas (Thematic area)
  • Rio de Janeiro (RJ) (Thematic area)
  • Sudeste (Geographic subregion)

Contato principal

Avenida Presidente Wilson, 203. Castelo, Centro
Rio de Janeiro, RJ
BR 20030-021