Fundo/Coleção FD - Cleumo Segond Carvalho Cruz

Área de identificação

Código de referência

BR RJANRIO FD

Título

Cleumo Segond Carvalho Cruz

Data(s)

  • 1985 (Produção)

Nível de descrição

Fundo/Coleção

Dimensão e suporte

Textual(is) -sem especificação - 2,38 m

Área de contextualização

Nome do produtor

Biografia

Formado em Cinema na Universidade Federal Fluminense, Cleumo Segond é carioca e diretor de fotografia há 25 anos. Fotografou vários curtas e médias-metragens em película, entre eles o “Profeta das Cores”, Melhor Documentário no Festival de Brasília de 1995.

Em 1991 mudou-se para São Paulo onde trabalhou na área de documentários, institucionais e comerciais. Realizou vários documentários pela TV Cultura de São Paulo. Fotografou longas metragens de ficção entre eles, o filme “Ao Sul de Setembro”, em 35mm, premiado com a melhor direção de fotografia de longa no Festival de Cuiabá de 2006. Em 2003 ganhou o prêmio de Melhor Fotografia de Vídeo no Festival de Cinema e Vídeo do Ceará com o média metragem “Na Garupa de Deus”. Realizou diversos outros documentários para a National Geographic, Discovery, TV Cultura e produtoras independentes para TV.

Recentemente, fotografou os longas documentários “O Dia que Durou 21 Anos” e “Raça”, exibidos nos cinemas. Fotografou também documentários premiados em festivais nacionais e internacionais como “O Velho – A História de Luís Carlos Prestes” e “Negação do Brasil”. Desde 2011 atua como professor no curso de direção de fotografia na Academia Internacional de Cinema (AIC) de São Paulo e realiza workshops e oficinas de direção de fotografia pelo Brasil. Agora assume o cargo de coordenador e professor do curso de direção de fotografia da AIC Rio

Entidade custodiadora

História arquivística

Em junho de 2002, o Museu de Arte Moderna declarou-se incapaz de guardar adequadamente em suas dependências matrizes de filmes brasileiros que integravam o acervo da Cinemateca, sendo estas, então, redestinadas a outras instituições. O Arquivo Nacional, no Rio de Janeiro, foi uma das instituições que passou a abrigar parte do acervo, por escolha dos proprietários das matrizes, estabelecendo-se o regime de comodato como uma das formas mais comuns de regulação e formalização da entrada na instituição. Mesmo após a lei municipal n. 3.531, de 7 de abril de 2003, que declarou a Cinemateca do MAM patrimônio cultural da cidade do Rio de Janeiro, o que fez com que a transferência de matrizes para outras instituições fosse interrompida, o Arquivo Nacional no Rio de Janeiro continuou a ser procurado pelos produtores de filmes para abrigar a sua produção.
O material deu entrada em 30 de outubro de 2002, sendo firmado um termo de comodato entre Cleumo Segond Carvalho Cruz e o Arquivo Nacional em 31 de outubro de 2002. O referido termo foi publicado no Diário Oficial da União de 6 de novembro de 2002 (ano ?, n. 215, Seção 3, p. 2, Extrato de contrato de comodato n. 25/2002). Vide proc. n. 00320.000452/2002-DV.
Na ocasião, o material foi registrado em SIAN como acervo Museu de Arte Moderna. Em 2010, foi autonomizado, ganhando status de fundo Cleumo Segond Carvalho Cruz.

Procedência

Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Cinemateca - 2002 - comodato - 94

Área de conteúdo e estrutura

Âmbito e conteúdo

Curta-metragem experimental tendo por temática a violência urbana.

Avaliação, seleção e temporalidade

Ingressos adicionais

Sistema de arranjo

Organizado totalmente

Área de condições de acesso e uso

Condições de acesso

Sem Restrição

Observações
Pelo contrato de comodato, o Arquivo Nacional foi autorizado a utilizar, sem fins comerciais, cópia do material depositado em suas pesquisas e eventos, bem como a exibi-lo em suas dependências (processo 00320.000452/2002-DV. f. 3).

Condiçoes de reprodução

Copyright - Cleumo Segond Carvalho Cruz

Outras condições
Mediante autorização do detentor dos originais.

Idioma do material

  • português do Brasil

Script do material

Notas ao idioma e script

Características físicas e requisitos técnicos

Instrumentos de pesquisa

Área de fontes relacionadas

Existência e localização de originais

Existência e localização de cópias

Unidades de descrição relacionadas

Descrições relacionadas

Área de notas

Nota

História administrativa / biografia
A povoação de Sacramento, fundada em 1680, na margem esquerda do Rio da Prata, pelos portugueses, foi objeto de inúmeras disputas com a Espanha. Em 1816, as forças luso-brasileiras invadiram a Banda Oriental do Uruguai, derrotando Artigas. Em 1821, o Reino Unido anexou a Província Cisplatina, incorporada em 1824 pelo Brasil independente, que conservou seu caráter de unidade provincial. Sua absorção pelas Províncias Unidas do Rio da Prata, em 1825, resultou na Guerra da Cisplatina, até 1828, quando, através da mediação inglesa, foi assinado o Tratado do Rio de Janeiro, estabelecendo-se o Uruguai como estado independente.
A Questão Platina divide-se em três momentos: em 1851/52, a intervenção brasileira contra Oribe e Rosas na Argentina; em 1864, o apoio a Venâncio Flores contra Aguirre no Uruguai; e, até 1870, a Tríplice Aliança (ofensiva do Brasil, Uruguai e Argentina contra o Paraguai).

Nota

Responsável pela descrição
Cristina Ruth Santos

Nota

Unidade Custodiadora
Coordenação de Documentos Audiovisuais e Cartográficos - CODAC

Identificador(es) alternativos

Pontos de acesso

Ponto de acesso - assunto

Pontos de acesso - local

Ponto de acesso nome

Pontos de acesso - gênero

Área de controle da descrição

Identificador da descrição

Identificador da entidade custodiadora

BR RJANRIO

Regras ou convenções utilizadas

Status

Final

Nível de detalhamento

Parcial

Datas de criação, revisão, eliminação

Idioma(s)

  • português do Brasil

Sistema(s) de escrita(s)

Bibliografia e outras fontes utilizadas

Zona da incorporação

Assuntos relacionados

Pessoas e organizações relacionadas

Gêneros relacionados

Lugares relacionados