Fundo/Coleção LC - Luiz Carlos Prestes

Área de identificação

Código de referência

BR RJANRIO LC

Título

Luiz Carlos Prestes

Data(s)

  • 1933 - 2011 (Produção)

Nível de descrição

Fundo/Coleção

Dimensão e suporte

Textual(is) -sem especificação - 0,98 m

Área de contextualização

Nome do produtor

(1898 - 1990)

Biografia

Luís Carlos Prestes, cognominado Cavaleiro da Esperança, nasceu em 1898, em Porto Alegre (RS). Em 1916, ingressou no Exército e tornou-se aluno da Escola Militar de Realengo, no Rio de Janeiro, formando-se bacharel em ciências físicas e matemáticas em 1920, ano em que foi promovido a segundo-tenente e, em 1922, a capitão. Em 1924, licenciou-se do Exército, passando a trabalhar como engenheiro na instalação de luz elétrica em cidades gaúchas. Nesse ano, esteve envolvido nos preparativos do levante contra o governo de Artur Bernardes. Liderou a coluna que reuniu revoltosos no Rio Grande do Sul contra as tropas legalistas, formando o núcleo do que se denominaria, mais tarde, Coluna Prestes, e que atravessaria o país entre os anos de 1924 e 1926, dissolvendo-se na Bolívia.
Em 1927, Prestes foi convidado, recusando-se, a ingressar no PCB – então Partido Comunista do Brasil –, época em que tomou contato com o movimento comunista e as notícias da Revolução Russa. Em 1929, Prestes transferiu-se da Bolívia para a Argentina, quando começou a se dedicar ao estudo do marxismo. Nesse ano, foi convidado a candidatar-se à sucessão de Washington Luís pelo PCB, mas recusou a proposta. Negou igualmente apoio a Getúlio Vargas na Revolução de 1930 e fundou a Liga de Ação Revolucionária (LAR), extinta no mesmo ano. Ainda em 1930, Prestes foi preso na Argentina, e libertado sob a condição de abandonar o país, transferindo-se então para o Uruguai, de onde passou a combater o governo de Vargas. Em 1931, transferiu-se para a União Soviética com sua mãe e irmãs, ingressando no PCB em 1934. Em 1935, Prestes retornou ao Brasil, permanecendo na clandestinidade e dedicando-se à preparação de uma revolta armada no país, seguindo orientação da Internacional Comunista. Assumiu então a identidade de Antônio Vilar, português que seria casado com Maria Bergner Vilar– na realidade, Olga Benário, membro do Partido Comunista Alemão que se tornaria sua esposa. Em março de 1935, foi fundada, sob a liderança do PCB e a presidência de honra de Prestes, a Aliança Nacional Libertadora (ANL) – ilegalizada pelo governo Vargas em julho desse ano. Entretanto, isso não impediu a Intentona Comunista em novembro de 1935, sufocada por Vargas no mesmo mês. Em março de 1936, Prestes e Olga foram presos e ela, grávida, foi entregue ao governo nazista alemão em setembro, morrendo em um campo de concentração em 1942. A filha do casal, Anita, nasceu em novembro de 1936, sendo entregue à avó paterna. Prestes ficou preso até abril de 1945, quando foi assinado o decreto de anistia aos presos políticos.
Em 1943, mesmo preso, Prestes foi eleito secretário-geral do Comitê Central do PCB, cargo que ocuparia até 1980. Nas eleições de dezembro de 1945, elegeu-se senador pelo Distrito Federal, e, em 1946, tornou-se líder da bancada do PCB na Constituinte desse ano. Em maio de 1947, o registro do PCB foi cancelado. Prestes teve então seu mandato de senador cassado, e, em agosto daquele ano, voltou à clandestinidade. Em 1950, foi expedido um mandado de prisão preventiva contra Prestes, que só seria revogado em março de 1958, quando voltou a atuar na legalidade. Nesse período, Prestes conheceu e se envolveu com Maria do Carmo Ribeiro, guardiã de seu esconderijo, unindo-se a ela em 1953. Com o golpe civil-militar de 1964, Prestes teve seus direitos políticos cassados, retornando mais uma vez à clandestinidade. Em junho de 1966, foi condenado a 15 anos de prisão no chamado “processo das Cadernetas”. Pela tentativa de reorganizar o PCB, juntamente com Leonel Brizola e outros, em junho de 1970, foi condenado a 10 anos – essas penas seriam declaradas prescritas em setembro de 1978. Em fevereiro de 1971, Prestes partira para o exílio em Moscou, juntamente com Maria e os nove filhos do casal: Pedro, Paulo Roberto, Antônio João, Rosa, Ermelinda, Luiz Carlos, Mariana, Zóia e Yuri. No exílio, Prestes teve intensa atuação política, visitando países diversos no intuito de denunciar os crimes cometidos pelo governo brasileiro. Retornou ao Brasil em outubro de 1979, com a decretação da Lei de Anistia em agosto daquele ano. Em maio de 1980, afastou-se do cargo de secretário-geral do PCB, tecendo críticas à direção do partido, do qual se desvinculou em janeiro de 1984. Após tentativas não concretizadas de ingressar no Partido dos Trabalhadores (PT), no Partido Democrático Brasileiro (PDT) e no Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), Prestes acabou por integrar-se às campanhas eleitorais do PDT das eleições de 1982 em diante.
Em 1984, apoiou a campanha Diretas Já, participando de diversos comícios. Na década de 1980, Prestes publicou artigos, proferiu palestras e participou de eventos, produzindo e difundindo análises da conjuntura política nacional e internacional. Foi agraciado com inúmeras homenagens. Faleceu em 7 de março de 1990, no Rio de Janeiro (RJ)

Entidade custodiadora

História arquivística

O acervo compreende documentos de duas origens, ambas a título de doação. A primeira delas constitui-se de três documentos (cópias) doados pelo governo da Federação da Rússia ao governo brasileiro, conforme termo de doação assinado em 8 de outubro de 2010, de cuja guarda e promoção do acesso foi incumbido o Arquivo Nacional, em ato realizado em Brasília, que contou com a presença de representantes diplomáticos de ambos os países (cf. processo n. 00320.000365/2010-00). Os originais das cópias encaminhadas encontravam-se sob a custódia do Arquivo do Estado Russo de História Política e Social (AERHPS). A totalidade das cópias prometidas (37 itens), um ano após o primeiro encaminhamento, ainda não havia se concretizado. A ideia de encaminhamento ao Brasil das cópias que foram doadas ao Arquivo Nacional surgiu durante o encontro do presidente da República do Brasil Luís Inácio Lula da Silva com o presidente da Federação Russa, Dmitri Medvedev, no primeiro semestre de 2010, em Moscou. Luís Carlos Prestes Filho, presente na qualidade de tradutor/intérprete da delegação brasileira, foi apresentado por Lula a Medvedev. A apresentação foi seguida de uma busca rápida no sistema russo, localizando-se imediatamente a referência aos documentos em questão.
A totalidade do acervo prometido pelo governo da Federação Russa incluiria correspondência familiar e política, artigos, anotações, declarações e manifestos de e sobre o titular, informações e relatórios sobre a campanha pela libertação de Prestes, recortes de jornal e fotografias sobre a situação do Brasil na década de 1930, compreendendo o período 1928 e 1941.
A segunda origem que, inclusive, justificou a alteração de status do acervo, de coleção para fundo, foi a família representada pela sra. Maria do Carmo Ribeiro Prestes, viúva do titular, tendo uma primeira remessa ocorrido em 15 de dezembro de 2011.
A celebração da referida doação ocorreu em 3 de janeiro de 2012.
Em 2014, a parcela textual do fundo foi selecionado pela Comissão Nacional da Verdade como de interesse para os estudos sobre violações de direitos humanos no Brasil. Os procedimentos de digitalização dos documentos e \"ocerização\" foram então integrados ao Projeto de Reformatação de Acervos do Arquivo Nacional de interesse para a referida Comissão.

Procedência

Arquivo do Estado Russo de História Política e Social - 2010 - doação - 12

Área de conteúdo e estrutura

Âmbito e conteúdo

A totalidade do acervo prometido pelo Governo da Federação Russa incluiria correspondência familiar e política, artigos, anotações, declarações e manifestos de e sobre o titular, informações e relatórios sobre a campanha pela libertação de Prestes, recortes de jornal e fotografias sobre a situação do Brasil na década de 1930, compreendendo o período 1928 e 1941.
Até o presente momento, as cópias que efetivamente deram entrada na instituição referem-se às saudações dirigidas aos participantes de congresso antimilitarista realizado em Montevidéu em 1933, caracterização do exército vermelho como organização do proletariado mundial, distinto de um exército capitalista, e análise da situação do Brasil, ressaltando a organização do proletariado (Bloco Operário e Camponês e Aliança Nacional Libertadora), estes dois últimos documentos datados de 1935. Todos três escritos de próprio punho do titular.
O acervo doado por Maria Prestes compreende documentos textuais e iconográficos produzidos e/ou reunidos por Luís Carlos Prestes, Maria do Carmo Ribeiro Prestes, seus filhos Pedro, Paulo Roberto, Antônio João, Rosa, Ermelinda, Luís Carlos, Mariana, Zoia e Yuri e netos.

Avaliação, seleção e temporalidade

Ingressos adicionais

Sistema de arranjo

Identificado

Organização
No processo de identificação dos documentos doados por Maria do Carmo Ribeiro Prestes, foi mantida a ordem original, agrupando os documentos de acordo com os títulos das pastas classificadoras nas quais foram encaminhados, no total de 27. Dessas, vinte vieram com títulos, sendo que às outras sete foram atribuídos títulos. Também foram atribuídos aleatoriamente o número das pastas, e grafadas com aspas duplas os títulos já existentes. Uma das pastas foi desdobrada. A notação lógica era representada pelo número de caixa e pasta.
As cópias impressas e digitais da parcela doada pela Federação Russa formam três dossiês LC.0.TXT, que foram descritos na Descrição Multinível Integrada do SIAN, cujas imagens digitalizadas foram associadas às suas descrições. Esse material recebeu, anteriormente, o código LC 0.0.1 a LC 0.0.3.
Em 2014, a documentação foi preparada para ser digitalizada e ocerizada e recebeu uma nova notação de acordo com a Descrição Multinível Integrada. Para otimização do trabalho de digitalização, foram agrupados algumas pastas gerando dossiês que receberam o código de referência BR RJANRIO LC.0.TXT numerados em ordem sequencial crescente. No campo 6.1.1.1 Notação Lógica é possível recuperar a notação anterior e fazer a equivalência.

Área de condições de acesso e uso

Condições de acesso

Condiçoes de reprodução

Idioma do material

  • alemão
  • espanhol
  • inglês
  • português do Brasil
  • russo

Forma de escrita do material

Notas ao idioma e script

Características físicas e requisitos técnicos

Instrumentos de pesquisa

ARQUIVO NACIONAL (Brasil). Coordenação Regional no Distrito Federal. Base de dados (DSpace). s/d. (ativa em abr. 2011). Nota: Acesso presencial no Rio de Janeiro e em Brasília. - Não impressos

ARQUIVO NACIONAL (Brasil). Coordenação-Geral de Processamento e Preservação do Acervo. Coordenação de Documentos Audiovisuais e Cartográficos. Equipe de Documentos Iconográficos. Fundo Luiz Carlos Prestes (LC): instrumento provisório dos documentos iconográficos. Rio de Janeiro, jun. 2014. 12 p. - Não impressos

ARQUIVO NACIONAL (Brasil). Coordenação-Geral de Processamento e Preservação do Acervo. Fundo Luiz Carlos Prestes (LC): Instrumento provisório dos documentos textuais e iconográficos. Rio de Janeiro, jan. 2012. 43 p. Nota: obsoleto. - Não impressos

ARQUIVO NACIONAL (Brasil). Coordenação-Geral de Processamento e Preservação do Acervo. Fundo Luiz Carlos Prestes (LC): instrumento provisório dos documentos iconográficos. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2014. 12 p. - Não impressos

ARQUIVO NACIONAL (Brasil). Sala de leitura virtual (em Windows 7). Org. por equipes da Coordenação de Tecnologia da Informação, Coordenação-Geral de Preservação e Processamento Técnico do Acervo e Coordenação Regional no Distrito Federal. Rio de Janeiro, out.-nov. 2013-2016. Nota: Acesso presencial no Rio de Janeiro e Brasília até 2 agosto de 2017. - Não impressos

Área de fontes relacionadas

Existência e localização de originais

Arquivo do Estado Russo de História Política e Social - Moscou - COMINTERN - Fundo 495
Arquivo do Estado Russo de História Política e Social - Moscou - COMINTERN - Fundo 539

Existência e localização de cópias

Na Instituição
mídia digital

Outros Detentores
Memorial Coluna Prestes (Palmas, Tocantins) -Palmas
Arquivo Edgard Leuenroth -Campinas -Luiz Carlos Prestes

Unidades de descrição relacionadas

Descrições relacionadas

Área de notas

Nota

Dimensões
O Projeto de Reformatação resultou em 13.720 matrizes.

Nota

Outras
Cópias encaminhadas, a pedido, à Comissão de Anistia e ao Ministério Público em São Paulo, entre outubro e dezembro de 2018 (ver Bibliografia).

Nota

Unidade Custodiadora
Coordenação de Documentos Escritos - CODES

Identificador(es) alternativos

Pontos de acesso

Ponto de acesso - assunto

Pontos de acesso - local

Ponto de acesso nome

Pontos de acesso - gênero

Área de controle da descrição

Identificador da descrição

Identificador da entidade custodiadora

BR RJANRIO

Regras ou convenções utilizadas

Status

Final

Nível de detalhamento

Completo

Datas de criação, revisão, eliminação

Idioma(s)

  • português do Brasil

Sistema(s) de escrita(s)

Bibliografia e outras fontes utilizadas

ARQUIVO NACIONAL (Brasil). Digitalização de acervos de interesse da Comissão Nacional da Verdade: relatório de status, atualizado em 27 de maio de 2014. 7 p. -Não impressos

ARQUIVO NACIONAL (Brasil); COMISSÃO DE ANISTIA. Acordo de cooperação técnica. Rio de Janeiro, 5 out. 2018. Diário Oficial da União, n. 197, Seção 3, p. 111, 11 out. 2018. -Não definido

ARQUIVO NACIONAL (Brasil); MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL (São Paulo). Correspondência. 2º sem. 2018. -Não impressos

Nota do arquivista

Crédito
Equipe Técnica: Beatriz Moreira Monteiro – supervisora; Aline Camargo Torres; Ana Lúcia Jatahy Messeder; Antonio Henrique Campello de Souza Dias; Leonardo Augusto Silva Fontes;
Mariza Ferreira de Sant’Ana.
Colaboradores: Diego Barbosa da Silva; Marco André Balloussier Ancora da Luz.
Estagiários: Andréa Delfino Ferraz; Hugo Pinheiro Pacheco; Sabrina Arruda Gesumimo Mendonça; André de Faria Silva; Lucas Taranto Casemiro.

Zona da incorporação

Assuntos relacionados

Pessoas e organizações relacionadas

Gêneros relacionados

Lugares relacionados