Fundo/Coleção AAA - Companhia Vale do Rio Doce Sociedade Anônima

Área de identificação

Código de referência

BR RJANRIO AAA

Título

Companhia Vale do Rio Doce Sociedade Anônima

Data(s)

  • [1983?] - 1995 (Produção)

Nível de descrição

Fundo/Coleção

Dimensão e suporte

Filmográfico(s) -sem especificação - 768 itens

Área de contextualização

Nome do produtor

(1942 - 2007)

História administrativa

A Companhia Vale do Rio Doce S.A. (CVRD) foi criada pelo decreto-lei n. 4352, de 1 de junho de 1942, destinada à exploração, comércio, transporte e exportação do minério de ferro das minas de Itabira e exploração do tráfego da Estrada de Ferro Vitória-Minas, no contexto dos Acordos de Washington. Como órgão da administração indireta, reportava-se diretamente ao presidente da República. O patrimônio inicial da Companhia foi constituído com a incorporação à União dos bens até então pertencentes à Companhia Brasileira de Mineração e Siderurgia. Pelo projeto de estatutos, compreendia três órgãos de caráter administrativo (Diretoria, Conselho Fiscal e Assembléia Geral) e dois departamentos: o da Estrada de Ferro Vitória-Minas e o das Minas de Itabira. O Departamento da Estrada de Ferro ficaria a cargo de diretores brasileiros, e o Departamento das Minas seria administrado conjuntamente por diretores brasileiros e norte-americanos.
A composição da Diretoria foi alterada pelo decreto-lei n. 5.773, de 24 de agosto de 1943, passando a funcionar com um presidente e um vice-presidente, de nacionalidade brasileira, e três diretores, sendo dois de nacionalidade norte-americana. Pelo mesmo decreto foi criado mais um departamento: o Departamento de Obras.
A Companhia Vale do Rio Doce foi privatizada em 6 de maio de 1997 e teve seu nome alterado para Vale em 29 de novembro de 2007.

Entidade custodiadora

História arquivística

Os documentos filmográficos deram entrada no Arquivo Nacional originalmente em regime de comodato, procedentes do Museu de Arte Moderna (MAM), sendo, à epoca, considerados integrantes da coleção Cinemateca do Museu de Arte Moderna.
Em 2008, foram formalmente separados do restante, sendo reclassificados na instituição como integrantes do fundo Companhia Vale do Rio Doce S.A. (ver especialmente processo 00320.000256/2002-DV), sendo registrados, em seguida, com um código próprio.

Procedência

Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Cinemateca - 2002 - recolhimento - 104

Área de conteúdo e estrutura

Âmbito e conteúdo

Filmes institucionais relacionados ao porto de Tubarão e às atividades da companhia em Itabira, Carajás, Linhares, Roterdã e outras localidades.

Avaliação, seleção e temporalidade

Ingressos adicionais

Sistema de arranjo

Identificado

Área de condições de acesso e uso

Condições de acesso

Condiçoes de reprodução

Idioma do material

  • alemão
  • inglês
  • japonês
  • português do Brasil

Script do material

Notas ao idioma e script

Características físicas e requisitos técnicos

Instrumentos de pesquisa

Área de fontes relacionadas

Existência e localização de originais

Existência e localização de cópias

Unidades de descrição relacionadas

Descrições relacionadas

Área de notas

Nota

Unidade Custodiadora
Coordenação de Documentos Audiovisuais e Cartográficos - CODAC

Identificador(es) alternativos

Pontos de acesso

Ponto de acesso - assunto

Pontos de acesso - local

Ponto de acesso nome

Pontos de acesso - gênero

Área de controle da descrição

Identificador da descrição

Identificador da entidade custodiadora

BR RJANRIO

Regras ou convenções utilizadas

Status

Final

Nível de detalhamento

Completo

Datas de criação, revisão, eliminação

Idioma(s)

  • português do Brasil

Sistema(s) de escrita(s)

Bibliografia e outras fontes utilizadas

Zona da incorporação

Assuntos relacionados

Pessoas e organizações relacionadas

Gêneros relacionados

Lugares relacionados